Questão comentada sobre comércio na Baixa Idade Média

(Enem/2014 – PPL) Veneza, emergindo obscuramente ao longo do início da Idade Média das águas às quais devia sua imunidade a ataques, era nominalmente submetida ao Império Bizantino, mas, na prática, era uma cidade-estado independente na altura do século X. Veneza era única na cristandade por ser uma comunidade comercial: “Essa gente não lavra, semeia ou colhe uvas”,  como um surpreso observador do século XI constatou. Comerciantes venezianos puderam negociar termos favoráveis para comerciar com Constantinopla, mas também se relacionaram com mercadores do islã.

FLETCHER, R. A cruz e o crescente: cristianismo e islã, de Maomé à Reforma.
Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2004.

A expansão das atividades de trocas na Baixa Idade Média, dinamizadas por centros como Veneza, reflete o(a)
A) importância das cidades comerciais.
B) integração entre a cidade e o campo.
C) dinamismo econômico da Igreja cristã.
D) controle da atividade comercial pela nobreza feudal.
E) ação reguladora dos imperadores durante as trocas comerciais.

RESOLUÇÃO:
Não se pode dissociar o comércio local com as atividades de troca. Dessa forma, as cidades tornavam-se mais importantes à medida que suas trocas comerciais atingiam pontos mais distantes. Obviamente, o desenvolvimento regional dependia da localização (e do papel) das cidades comerciais.
Resp.: A

VEJA TAMBÉM:
Questão discursiva sobre Idade Média, da FUVEST.

0 comments… add one

Leave a Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.