Questão comentada sobre a passagem do mitos para o logos

(UEL/2015) Leia os textos a seguir.
Sim bem primeiro nasceu Caos, depois também Terra de amplo seio, de todos sede irresvalável sempre.
(HESÍODO. Teogonia: a origem dos deuses. 3.ed. Trad. de Jaa Torrano. São Paulo: Iluminuras, 1995. p.91.)

Segundo a mitologia ioruba, no início dos tempos havia dois mundos: Orum, espaço sagrado dos orixás, e Aiyê, que seria dos homens, feito apenas de caos e água. Por ordem de Olorum, o deus supremo, o orixá Oduduá veio à Terra trazendo uma cabaça com ingredientes especiais, entre eles a terra escura que jogaria sobre o oceano para garantir morada e sustento aos homens.
(A Criação do Mundo. SuperInteressante. jul. 2008. Disponível em: <http://super.abril.com.br/religiao/criacao-mundo-447670.shtm>. Acesso em: 1 abr. 2014.)

No começo do tempo, tudo era caos, e este caos tinha a forma de um ovo de galinha. Dentro do ovo estavam Yin e Yang, as duas forças opostas que compõem o universo. Yin e Yang são escuridão e luz, feminino e masculino,
frio e calor, seco e molhado.
(PHILIP, N. O Livro Ilustrado dos Mitos: contos e lendas do mundo. Ilustrado por Nilesh Mistry. Trad. de Felipe Lindoso. São Paulo: Marco Zero, 1996. p.22.)

Com base nos textos e nos conhecimentos sobre a passagem do mito para o logos na filosofia, considere as afirmativas a seguir.
I. As diversas narrativas míticas da origem do mundo, dos seres e das coisas são genealogias que concebem o nascimento ordenado dos seres; são discursos que buscam o princípio que causa e ordena tudo que existe.
II. Os mitos representam um relato de algo fabuloso que afirmam ter ocorrido em um passado remoto e impreciso, em geral grandes feitos apresentados como fundamento e começo da história de dada comunidade.
III. Para Platão, a narrativa mitológica foi considerada, em certa medida, um modo de expressar determinadas verdades que fogem ao raciocínio, sendo, com frequência, algo mais do que uma opinião provável ao exprimir o vir-a-ser.
IV. Quando tomado como um relato alegórico, o mito é reduzido a um conto fictício desprovido de qualquer correspondência com algum tipo de acontecimento, em que inexiste relação entre o real e o narrado.
Assinale a alternativa correta.
A) Somente as afirmativas I e II são corretas.
B) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
C) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
D) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
E) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.

RESOLUÇÃO (Comentários da banca elaborada de provas da UEL):
I. Correta, pois os mitos sobre a origem do mundo são genealogias porque pretendem narrar o nascimento e a organização do mundo.
II. Correta, pois o mito é uma narrativa sobre a origem de algo, seja a Terra, os astros, os homens, as plantas ou mesmo qualidades ou vícios humanos. Os gregos o entendiam como um discurso proferido por um narrador para
ouvintes que confiavam que aquilo que estava sendo narrado, por meio de lutas, alianças, forças sobrenaturais etc., era verdadeiro.
III. Correta, pois os mitos são fundamentais para Platão. Seus textos são impregnados de explicações míticas, como pode ser observado no Mito do Anel de Giges, no Mito da Caverna e no Mito de Er, os dois últimos expressos no
texto A República. Assim, Platão admite a narrativa mitológica como invólucro da verdade filosófica.
IV. Incorreta, pois o mito, quando tomado alegoricamente, torna-se um relato que possui dois aspectos, ambos igualmente necessários: o real e o fictício. O aspecto fictício consiste na não ocorrência, de fato, daquilo que o mito narra;
o aspecto real consiste em que, de alguma maneira, aquilo que o mito diz corresponde à realidade. Deste modo, o mito não pode ser reduzido a um conto fictício desprovido de correspondência com algo ocorrido no mundo, isto é,
desconectado do real.
Resp.: D

VEJA TAMBÉM:
Questão comentada sobre a obra Odisseia, da Unesp 2020

0 comments… add one

Leave a Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.