INSS libera a Prova de Vida digital para os aposentados e pensionistas

Um número de aproximadamente 700 mil aposentados e pensionistas do INSS, assim como os anistiados políticos civis, já podem apresentar a sua Prova de Vida para o instituto de forma digital.

Logo depois de passar por todas as etapas que faziam parte da fase de testes, que foi iniciada no fim do mês de novembro de 2020, a prova de vida no formato digital já se encontra disponível para todos os beneficiários do INSS que precisam fazê-la.

Em resumo, a chamada Prova de Vida digital oferece esta possibilidade para que o segurado do INSS possa apresentar a sua comprovação sem que seja necessário comparecer presencialmente em uma agência bancária ou em uma agência do próprio INSS.

Em outras palavras, esta é uma necessidade que surgiu especialmente por conta da pandemia do novo vírus, que passou a forçar que as atividades digitais fossem colocadas como prioridade em relação às atividades presenciais. Em todas as esferas da sociedade, isso aconteceu. E no que diz respeito ao INSS, não poderia ser diferente.

Lembrando que a realização da Prova de Vida é necessária para que se mantenha os pagamentos mensais do benefício previdenciário que uma pessoa recebe. Ou seja, sem fazer a Prova de Vida, um aposentado ou pensionista do INSS pode deixar de receber os valores do benefício em sua conta. Pagamentos estes que somente serão retomados quando ele assim realizar a sua Prova de Vida. Por isso, é muito importante que o beneficiário do INSS fique atento a este procedimento e o faça na data certa, pois um descuido nesse sentido pode fazê-lo ficar sem o seu benefício por algum período.

Considerando que muitos beneficiários do INSS tem nos seus benefícios de aposentadoria e/ou pensão a sua única fonte de renda, não é favorável perder este direito por conta da não realização do procedimento anteriormente citado. Nesse sentido, seguir o cronograma do Governo e não deixar de fazer a Prova de Vida é fundamental.

Mas afinal, como fazer a Prova de Vida digital?

O serviço da Prova de Vida, agora em seu formato digital, pode ser acessado por meio de um aplicativo criado pelo Governo Federal. O aplicativo é o sougov.br, que nada mais é do que um canal de atendimento oficial que foi recém lançado pelo Governo para o uso exclusivo de servidores públicos federais ativos, aposentados, pensionistas e anistiados políticos civis. Em suma, este é um aplicativo que surge como uma substituição do aplicativo Sigepe Mobile.

De acordo com Caio Mário Paes de Andrade, que é secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital da pasta do Ministério da Economia, a Prova de Vida digital “evita o deslocamento e permite que uma pessoa realize este procedimento em qualquer lugar e a qualquer horário, seja no Brasil ou no exterior”.

Ainda de acordo com as palavras do secretário: “Isso garante uma maior segurança, mais rapidez e praticidade no atendimento a este público”. Ou seja, a digitalização da Prova de Vida é um processo que, além de tudo, oferece proteção e velocidade para os beneficiários que optarem por fazê-la desta forma.

Porém, é importante se atentar para uma questão. Para que a Prova de Vida seja realizada de forma digital pelo beneficiário do INSS, ele precisa ter a sua biometria cadastrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Ou pelo menos, a biometria cadastrada no DENATRAN (Departamento Nacional de Trânsito). Sem a biometria cadastrada em algum destes dois órgãos, a Prova de Vida não será possível de ser realizada de forma digital pelo segurado do INSS.

Em outras palavras, o novo aplicativo foi criado justamente para facilitar a vida dos beneficiários do INSS em processos como este da realização da Prova de Vida digital. Mas ao mesmo tempo, é muito importante que o beneficiário do instituto fique atento para como estes procedimentos devem ser feitos digitalmente e, principalmente, se eles possuem as credenciais necessárias para realizar estes processos pelos meios digitais.

Para os beneficiários do INSS, é vantajoso o oferecimento da oportunidade de fazer a Prova de Vida pelos meios digitais, principalmente quando se percebe que a grande maioria dos segurados pelo instituto fazem parte do grupo de risco que se encontra mais vulnerável ao contágio pelo novo vírus.

Calendário do Bolsa Família 2021: datas de maio

Para as pessoas que estão cadastradas no Programa Bolsa Família, as datas em que vão ser liberados os procedimentos de depósito e saque do Auxílio Emergencial são exatamente as mesmas. Ou seja, no mesmo dia em que o depósito das parcelas do Auxílio Emergencial for feito pela Caixa para este grupo de beneficiários, os procedimentos de saque e transferência também serão liberados.

O pagamento da 1ª parcela do Auxílio Emergencial para os beneficiários do Bolsa Família já foi efetuado pelo Governo Federal. Portanto, faltam 3 (três) parcelas.

A 2ª parcela do Auxílio Emergencial para os brasileiros que estão cadastrados no Programa Bolsa Família vai ser paga neste mês de maio.

De acordo com informações que foram divulgadas pela própria Caixa Econômica Federal, para além de poder movimentar o valor por meio do aplicativo Caixa Tem, existe também a possibilidade de o trabalhador fazer o saque dos valores do benefício emergencial com o seu Cartão Bolsa Família ou com o seu Cartão Cidadão. Esse tipo de saque com os cartões anteriormente citados pode ser feito diretamente nos canais físicos de atendimento da Caixa, como as agências bancárias e as lotéricas, por exemplo.

Então, confira logo a seguir como está definido o calendário de pagamentos da 2ª parcela do Auxílio Emergencial para os brasileiros que estão cadastrados no Programa Bolsa Família do Governo Federal.

AUXÍLIO EMERGENCIAL 2021 – CALENDÁRIO DO PAGAMENTO DA 2ª PARCELA PARA O BOLSA FAMÍLIA

As datas que serão apresentadas logo a seguir se referem somente ao pagamento da 2ª parcela do Auxílio Emergencial para os beneficiários do Bolsa Família, que será feito ainda neste mês de maio. O pagamento das demais parcelas será feito nos meses seguintes: junho e julho.

NIS terminado no dígito final 1
Recebe na terça-feira, dia 18 de maio de 2021

NIS terminado no dígito final 2
Recebe na quarta-feira, dia 19 de maio de 2021

NIS terminado no dígito final 3
Recebe na quinta-feira, dia 20 de maio de 2021

NIS terminado no dígito final 4
Recebe na sexta-feira, dia 21 de maio de 2021

NIS terminado no dígito final 5
Recebe na segunda-feira, dia 24 de maio de 2021

NIS terminado no dígito final 6
Recebe na terça-feira, dia 25 de maio de 2021

NIS terminado no dígito final 7
Recebe na quarta-feira, dia 26 de maio de 2021

NIS terminado no dígito final 8
Recebe na quinta-feira, dia 27 de maio de 2021

NIS terminado no dígito final 9
Recebe na sexta-feira, dia 28 de maio de 2021

NIS terminado no dígito final 0
Recebe na segunda-feira, dia 31 de maio de 2021

Lembrando, por mais uma vez, que as datas que foram apresentadas anteriormente dizem respeito tanto à data de depósito dos valores da 2ª parcela do Auxílio Emergencial na chamada Conta Poupança Social Digital da Caixa quanto à data de liberação de saques e transferências, uma vez que excepcionalmente para o grupo de beneficiários do Programa Bolsa Família, os saques e transferências podem ser feitos no mesmo dia do depósito.

Por outro lado, para os demais beneficiários – ou seja, aqueles que não fazem parte do Programa Bolsa Família – os saques e as transferências só podem acontecer um tempo depois que os depósitos dos valores são feitos pela Caixa.

Portanto, essa diferença na organização das datas entre depósitos e saques/transferências não deixa de ser uma vantagem que o Governo Federal aprovou para os beneficiários do Bolsa Família em relação ao benefício emergencial que estão recebendo neste primeiro semestre de 2021.

Mas e quanto aos demais beneficiários do Auxílio?

Como já pode ser explicitado anteriormente, os demais beneficiários do Auxílio Emergencial seguem um calendário semelhante, mas diferente.

A 2ª parcela do Auxílio Emergencial para as pessoas que não fazem parte do Bolsa Família também vai ser paga neste mês de maio. Mas diferentemente de como acontece com o grupo de beneficiários do Bolsa, estes brasileiros não vão poder sacar o benefício no mesmo dia em que ele for depositado.

Os saques e as transferências do valor da 2ª parcela para os demais beneficiários somente poderão ser feitos no próximo mês. Ou seja, em junho de 2021.